Simplesmente Predestinados - Evilane Oliveira



Livro: Simplesmente Predestinados - Duologia Simplesmente # Spin-off
Autora: Evilane Oliveira
ISBN: B01KCP9QR0
Ano: 2016 / Páginas: 217
Idioma: português 
Editora: Amazon

Kyle e Abby são primos e tem quase a mesma idade.

Desde bem pequenos, suas famílias percebem uma ligação entre os dois, que acaba sendo interrompida quando Aaron entra em cena.

Depois de Kyle decidir se afastar de Abby por conta de Aaron ainda na infância, eles ficam muitos anos sem se encontrar, até o primeiro dia de aula na universidade. Quando seus olhares se cruzam, eles sentem aquela ligação voltando à tona novamente.

Após ter lido os outros livros da duologia, cheguei a um impasse: Qual deles é melhor?

Simplesmente Imperfeitos é bem bacana, mas o ciúmes excessivo e as brigas constantes entre Nicole e Caíque, me deixaram um pouco desgostosa com a obra.

Já Mel e Pedro, acabaram arrebatando meu coração em Simplesmente Divididos. (Não conta pra ninguém, mas é minha história preferida ❤).

Agora, num spin-off do segundo livro, podemos ver o destino atuando na vida das pessoas. Foi engraçado perceber como a autora tratou essa predestinação de maneira natural.

Mesmo achando que a história merecia ter sido mais aprofundada, conseguimos perceber que não adianta tentar escapar do destino. Quando é  pra acontecer, simplesmente acontece.

A química de Abby e Kyle é inegável e contagiante. Coitado do Aaron, que teve que lidar com o amigo do passado conquistando sua namorada.

Essa história fechou com chave de ouro a duologia, coroando a Evilane como uma grande romancista Nacional.

Falando nela, que tal conferir a entrevista que ela concedeu ao blog?  Vem ver!!!

Blog LeL: Me fala um pouco sobre quando você decidiu começar a escrever seus próprios livros, contos, etc. O quanto a leitura te influenciou a escrever?
Evilane: Muito. Comecei a escrever por que eu queria um livro com passagens que eu gostava... Ciúmes, brigas e muita paixão. Desse desejo nasceu Simplesmente Imperfeitos!

BLeL: Com relação a esse ciúmes retratado com frequência nos livros new/Young adult, você não acha que pode passar uma imagem um pouco ruim para as pessoas mais novas? Não são cenas pesadas demais? Não podem retratar um relacionamento mais abusivo do que romântico? (Ps.: Essa é uma pergunta mais pessoal kkkk. Sempre quis perguntar isso para um autor pra saber seu ponto de vista. To aguardando pra fazer ela desde que li simplesmente imperfeitos)
E: Eu acho que depende muito da história de vida de uma pessoa. As vezes ela pode sentir um grau de insegurança que vai atrapalhar sua vida. Mas falando especificamente de Simplesmente Imperfeitos... Quando eu escrevi tinha 17 anos e no momento eu não tive essa percepção, mas agora eu entendo e recrimino o ciúme excessivo, mas o livro já está escrito, então só posso acreditar que os leitores vão ter discernimento ao ler.

BLeL: Conta um pouco sobre você. Idade, de qual cidade, qual sua profissão, o que gosta de fazer nas horas de folga, etc...
E: Bom, eu tenho 19 anos (farei 2.0 em Fevereiro). Moro em Pacatuba CE, município metropolitano de Fortaleza. No momento não trabalho. Nas minhas horas vagas eu gosto de escutar música, ler (claro!) E principalmente escrever.

BLeL: Falando em escrever, você está trabalhando em algum novo projeto no momento?
E: Lancei em Outubro A Jogada Perfeita " livro 01 da série Touchdown (gente não se assustem, os livros são de casais diferentes) e lançarei o segundo no final desse mês (Janeiro).Estou escrevendo o terceiro e fiz um conto de um personagem do livro 01, minhas leitoras pediram e eu escrevi. É bem curtinho.

BLeL: Pra finalizar, indique um livro que você goste para nossos leitores.
E: Eu AMO Crash da Nicole Willians. Indico demais e nacional, eu indico A série renda-se dá Anne Marck.

Espero que vocês tenham gostado tanto das resenhas, quanto da entrevista. Foi um prazer trazê-los para vocês.


Fiquem de olho aqui no blog e no Ig (@bloglivroseleitoras) para ficar por dentro de todas as nossas novidades.


Não se esqueçam de seguir nossa parceira nas redes sociais e acompanhar o trabalho incrível dela.

Abraços,
Carol.

O par perfeito - A pousada #3 - Nora Roberts


Livro: O Par Perfeito - A Pousada # 3
Autora: Nora Roberts
ISBN-13: 9788580415254
ISBN-10: 858041525X
Ano: 2016 / Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Arqueiro
Nota: 

Ryder é o último irmão Montgomery solteiro, e o mais rabugento, diga-se de passagem. Todo seu foco é direcionado ao trabalho, mas não quer dizer que ele não goste de mulheres.

Ele é um exímio namorador, porém, seus casos não são duradouros. Até Hope Beumont aparecer e lhe fazer sentir de um jeito que jamais sentiu.

Ela veio da movimentada Nova Iorque para comandar a pousada BoonsBoro, da família de Ryder. Extremamente competente e dedicada ao trabalho, Hope tenta superar o estrago que Jonathan Wickham, seu ex namorado, lhe causou.

Seus amigos já perceberam o clima que rodeia os dois, e com o empurrãozinho dado por Lizzie, a fantasma cupido que vive na pousada, eles acabam se encaixando perfeitamente um no outro.

O par perfeito vem para encerrar a trilogia a pousada, encontrando a parceira ideal para o último Montgomery e solucionando o mistério de Lizzie, que está mais pra casamenteira do que pra fantasma.

Este foi meu primeiro livro da Nora Roberts. Gostei muito da escrita dela e dos diálogos leves e descontraídos. Romance sempre é uma boa pedida, não é mesmo?

Percebi que o relacionamento dos protagonistas se desenvolveu rápido. Não tem aquela "enrolação" que encontramos em livros mais jovens. Senti um pouco de falta disso, confesso. Achei que tudo aconteceu em ritmo acelerado.

As cenas românticas entre Ryder e Hope são bem intimistas e contagiantes. Cheias de amor, e com erotismo na medida certa. Não tem nada explícito. É bem tranquilo.

Com relação aos outros personagens que rodeiam a trama, a autora consegue incorporá-los muito bem. Eu que não li outros livros da série, consegui criá-los com bastante clareza. 

Mesmo achando meio nada a ver essa história de fantasma que habita a pousada e fica dando uma de arruma pares, no final descobrimos sua importância. Foi tão bonitinho que quase chorei.

Enfim, posso classificar essa primeira experiência com Nora como satisfatória. Irei repetir em breve sim.

Obrigada à editora Arqueiro por me proporcionar esta possibilidade.

Carol.

Apenas um garoto - Bill Konigsberg

Livro: Apenas Um Garoto
Autor: Bill Konigsberg
1ISBN-13: 9788580415896
ISBN-10: 8580415896
Ano: 2016 / Páginas: 256
Idioma: português 
Editora: Arqueiro
Nota: 

Seamus Rafael Goldberg, ou simplesmente, Rafe, é um garoto normal, que vive em Boulder, Colorado, com seus pais.

Você se atentou à palavra normal na frase anterior, não é mesmo? Pois é assim que Rafe gostaria de ser visto e tratado, porém, no auge de seus 13 anos de idade, sua vida mudou completamente. Para os outros, pelo menos.

Aos 13 anos, Rafe decidiu assumir para todos algo que sempre soube. Ele era gay. E bem, não espere um história sofrida, com bullying e etc. Ele foi bem aceito. Por seus pais, por seus colegas, por sua escola. Mas Rafe se tornou isso. Um garoto gay. O porta voz de uma causa. Não mais Rafe, o filho dos pais meio malucos, que gosta de esportes e tem amigos. Rafe se tornou um rótulo.

Ele não podia mais praticar esportes sem os outros garotos acharem que ele estava lá só para paquerá-los. Tinha que mostrar o ponto de vista dos gays no movimento estudado em sala de aula. Se tornou inspiração para os outros jovens gays de sua cidade.

Rafe estava cansado. Não queria mais ser rotulado. Não queria mais ser o garoto gay. Queria ser só o Rafe. Ser apenas um garoto.

E foi por tal motivo que ele decidiu atravessar estados e entrar em uma escola só de meninos. Ali, ele poderia começar de novo. Ser um garoto normal, arrumar confusões, amigos, e tudo isso por ser ele mesmo, e não não gay.

Por escolha, consciente ou não, ele decide voltar para o armário e não revelar sua sexualidade para ninguém. E por um tempo isso realmente resolve, mas nada dura para sempre, não é mesmo?

Narrando as reflexões de Rafe, apenas um garoto nos conta a história de um menino que gostaria de viver sem servir de base para ninguém.

Em meio as descobertas naturais da adolescência, ele se perde em meio a dramas e segredos. Acaba percebendo que não tem como lutar contra os sentimentos, e que a amizade, pode ter se tornado algo maior.

Lutando não apenas contra esses sentimentos, Rafe acaba envolvendo seus pais e sua melhor amiga na volta para o armário, deixando-os preocupados, e por vezes bravos com suas escolhas.

Tenho que confessar que em certos momentos também fiquei brava com ele. Porque esconder quem você é de verdade? Porque mentir para seus amigos e forçar a sua família a embarcar nessa? Mas, passada a raiva, entendi o que ele sentiu.

Acredito que todos nós já passamos por momentos em que desejamos ser outras pessoas. Quem nunca pensou em se reinventar na volta do ano letivo? Ou que gostaria de se livrar do rótulo de nerd, gordo, quatro olhos? Quem somos nós para julgar?

É isso que Rafe tentou fazer. Ele queria ser ele mesmo, fazer o que gostava, sem ninguém para lhe tacar na cara que tudo o que ele fazia, era feito por um gay.

Entretanto, o livro não conseguiu me cativar.

A escrita do autor é muito sem sal. A história não tem nenhum ápice, nenhuma ação. É sempre a mesma linha de sentimentos. Não consegui capturar nenhuma sensação expressada pelo personagem. Não houve raiva, vergonha, desespero, amor. É como se ele sempre estivesse com a mesma cara.

Se a intenção do autor era levantar a bandeira do homossexualismo, ele falhou. Bill apenas nos mostrou o que se passa dentro da cabeça de um guri que não sofreu preconceitos, muito pelo contrário, sempre teve apoio, e não estava satisfeito com isso.

Achei o protagonista monótono e o enredo previsível. Não me conquistou.

Enfim, este é mais um livro lido e resenhado em parceria com a editora Arqueiro.

Espero que gostem.

Carol.