Dançando sobre cacos de vidro


         Ano passado uma amiga minha me falou várias vezes sobre esse livro. Ela falava: “ Caroline, pelo amor de Deus, leia esse livro mulher! Ele é lindo, chorei horrores!”. Conheço gente que não gosta de ler livros que fazem chorar, mas sou dessas que leem messssmo. Se não for pra chorar, nem leio.
         Sou uma manteiga derretida no quesito literatura, e com Dançando sobre cacos de vidro não poderia ser diferente.
Confesso que logo no começo em que Lucy descobre que está grávida eu fiquei histérica! Achei tão lindo! Era um presente pra ela e pro Mickey (<3), um milagre na vida dos dois. Fiquei imaginando o Mickey se esforçando mais ainda pra cuidar desse anjinho que estava por vir e já estava ansiosa pra saber o que ia acontecer, até que vem a notícia mais fdp da história: a doença de Lucy tinha voltado, e todos os meus planos pros personagens cairam por terra.
            Depois que descobriu o câncer e que decidiu ter o bebê, fiquei p*** com a Lucy. Deixar de lutar pelo Mickey por causa de um bebê que nem nasceu? Ela poderia abortar, se tratar e tentar novamente ter outro filho ( pra quem não sabe, eles fizeram um pacto de não ter filhos, devido às doenças mentais do lado do Chandler e do câncer do lado da Houston, para que seu DNA não passasse para as futuras gerações), e fiquei rezando cada maldito segundo em que lia a história para que desse pra ela ter o bebê e se tratar depois, mas nem tudo é como a gente quer né!
            Bom, o que posso dizer é que esse livro abalou minhas estruturas, e se você tiver a oportunidade de ler, leia-o imediatamente, e se não tiver, leia assim mesmo pois é uma história linda, linda, linda, que todo mundo precisa ler.


            Sabe aquele top 10 dos melhores livros que já li? Então, nunca consigo ter só 10 kkkkkk e esse definitivamente entrou pra essa parada.

                                             *-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles.

Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam – por escrito – um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente.


Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins – alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética.


Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor.Dançando sobre cacos de vidro é a história de um amor inspirador que supera todos os obstáculos para se tornar possível.
____________________________________________________________


..." Que às vezes a maneira de morrer doía mesmo, mas a morte trazia certa magia, porque a gente acabava se esquecendo da dor como se nunca a tivesse sentido." - pág. 9

..." pois descobri que sou muito melhor em deixar partir do que em aceitar que me deixem partir." - pág. 13

..." A verdade é que acho que amei Mickey desde o momento em que o vi. Graças a Deus, porque agora não consigo me imaginar amando - ou sendo amada por- outra pessoa. Apesar dos reveses...sei que escolheria Mickey de novo." - pág. 23

" É preciso talento para lidar com esse transtorno. É preciso coragem para controlá-lo a fim de que ele não me controle. Às vezes é preciso encontrar um bom guia. No meu caso, precisei de um destino. Lucy é meu destino. Não importa se estou encurralado num canto escuro, ou debruçado sobre um precipício estonteantemente brilhante, meu objetivo é sempre voltar para ela..." - pág. 40

..." Eu costumava me  perguntar como o amor...funcionava para aqueles que não precisavam se preocupar com a loucura. Essas pessoas provavelmente não tinham que tentar com todas as forças evitar se apaixonar  nem se sentiam obrigadas a rejeitar o amor por ele não ser confiável. Tampouco precisavam imaginar a rejeição cáustica que as aguardava assim que a sua loucura fosse revelada em toda a sua extensão...No momento em que começamos a deixar cair nossas máscaras, não pude acreditar que ela não me achasse repulsivo...Seu destemor me assustou um pouco. Mas talvez o destemor seja o que fica para alguém que já passou pelas piores coisas que lhe podiam acontecer...Eu estava me apaixonando por ela...Tentei poupá-la  de uma vida comigo... Mas ela nem sequer pestanejou." - pág. 88

"Levei um dia para ver como seria ficar sem vê-lo, sem falar com ele ou tocá-lo. Não gostei. Não gostei nem um pouco." - pág. 89

..." não consigo manter as aparências durante muito tempo, preciso ser eu mesmo nos momentos em que estou sozinho." - pág. 91

" - Estou apaixonada por você. E o fato de se comportar como um babaca não vai mudar nada...Mickey, eu realmente acredito que todo mundo deveria ser importante para alguma pessoa neste raio de planeta a ponto de valer a pena lutar por ela. isso vale para mim também. E ninguém está lutando por mim. Eu desisto." - pág. 91

..." Estou flutuando acima do precipício e vou cair. Sinto muito. Eu te amo. Eu te amo. Eu te amo. Se meu amor viesse num pacote melhor, acabaria afogando você. Ele é grande assim. Não tenha medo de mim. Por favor, por favor, por favor, não fique com mendo de mim. Não importa o que eu diga ou faça quando você me encontrar, com certeza não é de propósito. Ao menos que eu diga que te amo. Porque esta é a única coisa inabalável que tenho". - pág. 101

" - O amor não cura tudo, Lucy" - pág. 116

..." Não demorou muito para que eu entendesse o que ele queria dizer. Cacos de vidro. Nesse momento, estávamos descalços e dançando sobre um mar de cacos de vidro...Mickey sabia que eu dançaria com ele para sempre se pudesse, mesmo que meus pés sangrassem." - pág. 211

"- Acho que ele terá que perder você, Lucy. Ele não saberá o que pode fazer sem você até que isso aconteça." - pág. 229

..." Quando terminou, nos demos conta de que provavelmente havia sido a última vez" - pág. 237

..." a morte era  a parte fácil. O modo como se morre? Bom, essa já era outra história." - pág. 254

__________________________________________________________________


O livro tem 329 páginas, e é da #EditoraArqueiro