Apenas um garoto - Bill Konigsberg

Livro: Apenas Um Garoto
Autor: Bill Konigsberg
1ISBN-13: 9788580415896
ISBN-10: 8580415896
Ano: 2016 / Páginas: 256
Idioma: português 
Editora: Arqueiro
Nota: 

Seamus Rafael Goldberg, ou simplesmente, Rafe, é um garoto normal, que vive em Boulder, Colorado, com seus pais.

Você se atentou à palavra normal na frase anterior, não é mesmo? Pois é assim que Rafe gostaria de ser visto e tratado, porém, no auge de seus 13 anos de idade, sua vida mudou completamente. Para os outros, pelo menos.

Aos 13 anos, Rafe decidiu assumir para todos algo que sempre soube. Ele era gay. E bem, não espere um história sofrida, com bullying e etc. Ele foi bem aceito. Por seus pais, por seus colegas, por sua escola. Mas Rafe se tornou isso. Um garoto gay. O porta voz de uma causa. Não mais Rafe, o filho dos pais meio malucos, que gosta de esportes e tem amigos. Rafe se tornou um rótulo.

Ele não podia mais praticar esportes sem os outros garotos acharem que ele estava lá só para paquerá-los. Tinha que mostrar o ponto de vista dos gays no movimento estudado em sala de aula. Se tornou inspiração para os outros jovens gays de sua cidade.

Rafe estava cansado. Não queria mais ser rotulado. Não queria mais ser o garoto gay. Queria ser só o Rafe. Ser apenas um garoto.

E foi por tal motivo que ele decidiu atravessar estados e entrar em uma escola só de meninos. Ali, ele poderia começar de novo. Ser um garoto normal, arrumar confusões, amigos, e tudo isso por ser ele mesmo, e não não gay.

Por escolha, consciente ou não, ele decide voltar para o armário e não revelar sua sexualidade para ninguém. E por um tempo isso realmente resolve, mas nada dura para sempre, não é mesmo?

Narrando as reflexões de Rafe, apenas um garoto nos conta a história de um menino que gostaria de viver sem servir de base para ninguém.

Em meio as descobertas naturais da adolescência, ele se perde em meio a dramas e segredos. Acaba percebendo que não tem como lutar contra os sentimentos, e que a amizade, pode ter se tornado algo maior.

Lutando não apenas contra esses sentimentos, Rafe acaba envolvendo seus pais e sua melhor amiga na volta para o armário, deixando-os preocupados, e por vezes bravos com suas escolhas.

Tenho que confessar que em certos momentos também fiquei brava com ele. Porque esconder quem você é de verdade? Porque mentir para seus amigos e forçar a sua família a embarcar nessa? Mas, passada a raiva, entendi o que ele sentiu.

Acredito que todos nós já passamos por momentos em que desejamos ser outras pessoas. Quem nunca pensou em se reinventar na volta do ano letivo? Ou que gostaria de se livrar do rótulo de nerd, gordo, quatro olhos? Quem somos nós para julgar?

É isso que Rafe tentou fazer. Ele queria ser ele mesmo, fazer o que gostava, sem ninguém para lhe tacar na cara que tudo o que ele fazia, era feito por um gay.

Entretanto, o livro não conseguiu me cativar.

A escrita do autor é muito sem sal. A história não tem nenhum ápice, nenhuma ação. É sempre a mesma linha de sentimentos. Não consegui capturar nenhuma sensação expressada pelo personagem. Não houve raiva, vergonha, desespero, amor. É como se ele sempre estivesse com a mesma cara.

Se a intenção do autor era levantar a bandeira do homossexualismo, ele falhou. Bill apenas nos mostrou o que se passa dentro da cabeça de um guri que não sofreu preconceitos, muito pelo contrário, sempre teve apoio, e não estava satisfeito com isso.

Achei o protagonista monótono e o enredo previsível. Não me conquistou.

Enfim, este é mais um livro lido e resenhado em parceria com a editora Arqueiro.

Espero que gostem.

Carol.

Simplesmente Divididos - Evilane Oliveira


Livro: Simplesmente Divididos - Duologia Simplesmente # 02
Autora: Evilane Oliveira

ISBN: B01KCOWRWW
Ano: 2016 / Páginas: 293
Idioma: português 
Editora: Amazon

Nota: ★★★★★


Simplesmente Divididos é o segundo livro da Duologia Simplesmente, escrito por mais um novo talento da nossa literatura nacional, Evilane Oliveira.

Há poucos dias, trouxe até vocês a resenha do primeiro livro da duologia, Simplesmente Imperfeitos, (que você pode conferir aqui), e hoje, venho lhes contar sobre a continuação da história dessa turma.


Os protagonistas da vez são Mel e Pedro, dois jovens que tiveram seus corações partidos pelos melhores amigos de seus irmãos.

Mel, é a irmã mais nova de Caíque. Seu primeiro e único amor é Tyler, melhor amigo de seu irmão. Após vários anos de sorrisos e lágrimas, ela descobre que Tyler está namorando e parece feliz. Como se não bastasse, ele será pai, e nunca mais poderá ser seu.

Pedro é irmão mais novo de Nicole, cunhado de Caíque. Ele sempre foi apaixonado por Clara, melhor amiga de sua irmã, mas percebe que a perdera para sempre ao ouvir de sua boca que está grávida de Tyler.

Depois de descobrirem a notícia de seus amados, Mel e Pedro acabam se encontrando num bar. Cheios de sofrimento e álcool, eles estendem a noite mais do que deviam, colocando em risco a grande amizade que havia crescido entre os dois.

Grande parte do livro gira em torno dos personagens principais tentando esconder a noite quente que tiveram juntos e tentando entender os sentimentos que começam a aflorar dentro de si.

Você pode esperar muita confusão, gente tentando estragar relacionamentos e muitas outras surpresas não tão agradáveis, mas, emocionantes.

Mel e Pedro me encantaram, irritaram e venceram. As coisas pelas quais esses dois passaram são bem sérias, então você pode esperar de um tudo aqui.

Os personagens secundários também são uma graça. Um deles, inclusive, protagoniza a cena mais triste da história, que altera o rumo dessa casal de forma quase trágica, mas no fim, acaba por trazer certa felicidade.

Adorei o enredo como um todo. Foi sem dúvida o melhor livro, mas ainda preciso confessar que shippava eternamente Pedro com Clara e Mel com Tyler, mas nem tudo é perfeito, não é mesmo?

Ainda temos um spin- off dessa duologia, que por sinal também já li, e virá com a resenha acompanhada da entrevista com a autora, portanto, nos aguarde.

Com carinho,
Carol.

O primeiro dia do resto da nossa vida - Kate Eberlen


Livro: O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida
Autora: Kate Eberlen
ISBN-13: 9788580416213
ISBN-10: 8580416213
Ano: 2016 / Páginas: 432
Idioma: português 
Editora: Arqueiro
Nota: ★★★★

Você acredita em destino? Acredita que uma coisa acontecerá, mesmo que as circunstâncias da vida nos leve para caminhos diferentes do que eram para acontecer?

O primeiro dia do resto da nossa vida é sobre destino. Sobre como duas pessoas são perfeitas uma para a outra, e como a vida acontece, mesmo sem a gente querer.

Marcados por perdas, ambos seguem suas vidas com um sentimento de incompletude latente.se encontrar.

Com uma escrita um pouco massante, Kate Eberlen vem nos contar a história de Tess e Gus, duas pessoas com vidas bem diferentes e ao mesmo tempo iguais.

Passamos o tempo inteiro nos dividindo entre a narrativa de Tess e Gus, que nos mostram um pouco de suas vidas, ansiando pelo provável momento em que vão 

Tive a impressão de que os personagens ficam o tempo todo no automático. Parece que o tempo todo eles estão anestesiados. Eles apenas seguem o fluxo das coisas, deixando acontecer, e não correndo atrás do que desejam.

O livro nos mostra como as pessoas passam por nossas vidas, mesmo que rapidamente, e quais efeitos elas causam na gente com essa passagem.

O tempo aqui também é relativo. Ao mesmo tempo em que se passam anos na história, percebemos o valor que um segundo carrega. Como  um olhar é importante. Como uma vida inteira não é capaz de separar o que foi feito para ficar junto.

Confesso que foi uma leitura bem difícil, no sentido de ser cansativa. A expectativa do encontro dos personagens te deixam ansiosa, e a narrativa, mais descritiva do que dialogal, faz parecer que tudo demora uma eternidade para desenrolar.

E realmente demora.

Entretanto, a forma como a autora aborda a passagem de um personagem na vida do outro, é bem sutil, fazendo com que o leitor se pergunte em vários momentos se ambos estavam no mesmo lugar ao mesmo tempo, se as coisas teriam sido diferentes se tivessem se encontrado em outro momento, se isso já aconteceu consigo em algum momento na realidade e se a metade da sua laranja era aquele moço da fila do supermercado ou o estranho do outro lado da rua.

O sofrimento e a luta diária de cada um dos protagonistas é um capítulo a parte. Tess assume muito nova responsabilidades de mãe, vendo seus planos para a universidade irem para cada vez mais longe. Já Gus, não consegue superar a perda do irmão, que acaba abalando seu relacionamento com os pais lhe envolvendo em um relacionamento improvável de longos anos.

Eu pensei desde o momento em que botei o olho no livro, que o final seria um pouco diferente. Li a obra com os dois pés atrás, pois a história me lembrou a de Uma curva no tempo, e se você segue o blog, sabe que a detestei, mas, num saldo geral, apesar de achar que a leitura não fluía e que nunca ia acabar, a história termina bem.

Acredito que a autora poderia ter desenvolvido um pouco mais a fundo os capítulos finais, mas essa história não precisa muito de razão para ser compreendida, afinal, o futuro não nos pertence.

Se eles ficaram juntos ou não no final? Só lendo para descobrir.

Esse foi mais um romance levinho publicado pela nossa parceira, Arqueiro, a maior editora que você respeita! (e ama ♥)

Carol.