O sol também é uma estrela - Nicola Yoon



Livro: O Sol Também é Uma Estrela
Autora: Nicola Yoon
ISBN-13: 9788580416589
ISBN-10: 8580416582
Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Arqueiro

Natasha e Daniel são muito diferentes, e se fosse um dia normal, eles nunca se encontrariam, ou talvez se encontrassem.

Se você é como Natasha, e acredita apenas em fatos concretos, calculáveis e exatos, diria que a probabilidade de eles se encontrarem é de 1 em não sei quanto (não sei nada de probabilidades, portanto não me julgue),mas, se você é como Daniel e crê em sinais, forças misteriosas e amor, sabe que foi o destino que uniu esses jovens.

No dia mais importante de sua vida, Daniel decide ir atrás dos sinais que lhes foram ditos. Sinais que o levaram até Natasha. Sinais que o fizeram se apaixonar por esta garota à primeira vista.

Ela estava por aí, tentando consertar os erros do pai e impedir que a família fosse deportada de volta para a Jamaica.

Um segundo. Apenas uma olhada. É tudo o que Daniel precisa para ter certeza de que ela é a mulher de sua vida. Mas como convencer uma total estranha de seu amor? Como acreditar nisso? E o mais difícil de tudo: como fazer que alguém que não acredita no amor passe a acreditar e retribuir esse sentimento na mesma intensidade, em poucas horas?

É em meio a esse dilema que se passa a história dos protagonistas Natasha e Daniel. Dois jovens que estão vivendo o dia mais importante de suas vidas, tentando correr do mundo para ficarem um pouco mais de tempo juntos.

Na verdade, quem quer ficar junto com alguém é Daniel. Ele, um poeta, romântico incurável, está com hora marcada para a entrevista da faculdade de medicina, sonho de seus pais, mas decide tacar tudo para o alto quando conhece uma garota que cruzou seu caminho, aparentemente, com o objetivo de se tornar o amor de sua vida.

Ela está correndo contra o tempo, e não acredita em destino, ou amor. Tudo tem um explicação e sentimentos são reações químicas orquestradas pelo cérebro.

As probabilidades sempre estiveram contra esses dois. Pode o destino operar nas vidas daqueles que não acreditam nele?

Você pode não acreditar. Natasha nunca acreditou, e mesmo assim, mesmo que por um momento, ela se perguntará se ela está mesmo certa.

Nicola Yoon aborda dois personagens que descrevem todos nós ao mesmo tempo.

Uma garota cética em relação aos sentimentos humanos,  que acredita apenas e exclusivamente na ciência. Um garoto que não liga para lógica e é guiado pelo coração e por seus sentimentos.

Sabe aquela velha história dos opostos se atraírem? Pois então. Este é um retrato jovem e contemporâneo desta história.

Lutando com o tempo, com a razão e com os próprios princípios, esses dois embarcam num dia que os afetará para sempre.

Não bastasse a discussão central da história, a autora ainda aborda vários temas pertinentes, trazendo à tona preconceito, relações familiares, machismo, suicídio e salvação.

Foi um pouco complicado o início dessa leitura.

A troca de narrativa entre os dois protagonistas ao longo de um e outro capítulo é algo que me irrita profundamente, e foi algo que não me deixava com vontade de prosseguir na leitura.

A sensação de superficialidade da história também é bastante presente.

Tinha tudo para que eu desistisse de ler esse livro. Além dos pontos que acabei de dizer, ficava claro que a história é voltada para os mais jovens, entretanto, eu me apaixonei por Natasha.

Essa ceticidade dela com relação a tudo, essa racionalização excessiva de tudo me fez lembrar muito de mim mesma.

É essa característica da personagem que te faz seguir no livro. Será que ela será convertida pela fé de Daniel no mundo? Será que o destino a fará mudar de ideia? Ela vai se apaixonar pelo jovem coreano meio maluco?

Mesmo com ressalvas, acabei gostando da obra. 

O final, que num primeiro momento é previsível, nos mostra um salto na história dos protagonistas, levando a crer que tudo foi em vão e que esperança é linda na adolescência, mas não funciona na vida adulta.

As linhas finais deixam claro que quando é pra ser, acontece. Não tem tempo, distância ou lugar que impeça.

O sol também é uma estrela é lançamento da Editora Arqueiro e foi resenhado em parceria com a mesma.

Hey, Panda, vamos fugir? - Ivan Bittencourt Jr.


Livro: Hey, Panda, vamos fugir?
Autor: Ivan Bittencourt Jr
ISBN-13: 9789895179596
ISBN-10: 9895179596
Ano: 2015 / Páginas: 192
Idioma: português
Editora: Chiado Editora
Nota: ★★★★

Hey, Panda, vamos fugir? É o novo lançamento do autor Ivan Bittencourt Jr.

Neste livro conhecemos Théo, um jovem rapaz que sofre de IAS - Introversão Altamente Sensível.

Ele é um garoto tímido, que não interage muito com as pessoas, mas, de repente, se vê apaixonado pela menina da foto. A panda que fez sua vida mudar.

A @marinaapanda é uma menina bonita, que sonha em ser modelo, e tem um canal no YouTube. Super descolada, arrebata o coração do nosso protagonista na primeira vista.

O relacionamento do dois começa muito rápido. Mesmo em meio às reflexões malucas de Théo, os dois começam a conversar pelo Facebook, e quando veem, já estão namorando.

Na era da tecnologia as coisas giram muito rápido mesmo, e este livro é todo pautado nessa nova geração e nas interações via redes sociais.

Théo é viciado no Twitter e inicia um blog quase ao mesmo tempo em que conhece Marina. Ele faz de seu blog um diário, escrevendo ali seus pensamentos e momentos vividos com a namorada e amigos.

A maneira como o livro foi escrito e diagramado foi uma grande sacada do autor. O livro não é feito apenas com narrativas e diálogos. Podemos observar 3 tipos de formatação, que dão um toque todo especial à obra, tornando mais interativo, separando os textos escritos no blog, no Twitter, e a trama em si, cada um com uma letra e estrutura.

Percebi que este é um livro mais voltado para o público jovem. O romance entre os protagonistas é bem leve e fluído. 

Para mim, pareceu que tudo ocorreu muito rápido e superficial. O garoto vê a foto da menina na internet, se apaixona, eles começam a conversar e no próximo minuto já estão falando eu te amo um pro outro.

Eu, particularmente, achei o envolvimento dos dois muito rápido. Gosto de relações mais aprofundadas e menos melosas. O Théo é apegado pra caramba! Até acabou me lembrando algumas amigas que são bem...intensas, eu diria.

Tem gente que sente mais mesmo. Sou mais dura com relação a sentimentos e acabo achando todo mundo que se apega e surta assim muito estranho, mas acontece, então temos que respeitar, afinal, se cada um sente de um jeito, como podemos determinar qual é a maneira certa de sentir?

Acho que esses sentimentos à flor da pele são típicos de adolescentes então decidi relevar essa rapidez, levando em conta o contexto da história, mesmo achando muuuuuito estranho. 

Outro ponto legal surge quando o autor coloca outros personagens como amigos dos protagonistas, inserindo cenas cristãs na trama, que me parecem fazer parte da vida do próprio autor dando um toque pessoal na história, deixando a marca da escrita de Ivan.

No decorrer da história, nos deparamos com problemas típicos enfrentados por adolescentes: problemas com os pais, vestibular, faculdade, sonhos e amor, tudo envolvido pelas reflexões, às vezes exageradas, de Théo.

Durante toda o livro convivemos com um típico amor de verão. Aquele rápido e marcante, que se baseia na esperança e no amor, puro e simples.

No final, chegamos a questionar se esses amores de verão duram para sempre, e se depende de nós mantê-lo vivo ou esquecê-lo. Qual a sua aposta?

Como eu disse, é um livro bem gracinha. Com uma escrita voltada para o público jovem, numa linguagem mais informal, que nos deixa com vontade de ler o livro todo de uma vez só.

Uma ótima indicação para os leitores mais novinhos e/ou que estão iniciando no mundo da leitura agora.

O Ivan é parceiro do blog, e super indico o trabalho dele. Vocês podem segui-lo nas redes sociais e no nosso perfil para ficar por dentro de tudo o que surge de novo sobre ele.

Vamos apoiar a literatura nacional, galera!

Espero que gostem,

Carol.